13 março, 2011

A minha ausência



Tive que ir para fora de Portugal para ajudar o papá num trabalho e por isso deixei a piolhita por cá. Na 3ª feira foi a azáfama de arrumar malas e organizar tudo para a viagem. O dia de Carnaval não foi nada de jeito, a chover muito e frio e acabou por me dar um jeitão poder fazer tudo. Ao fim da tarde de Terça-Feira, o meu coração começou a fraquejar. Já se aproximavam as horas de partida e sabia que ia ficar 4 dias sem a minha filha. 
Quarta-Feira: 5h00 manhã foi a hora de alvorada e aí então é que começou a meu tormento. Depois de tomar um pequeno-almoço à pressa, para não nos atrasarmos, subi ao quarto várias vezes para me despedir dela. Entrei no carro, as lágrimas começam a cair. Nunca estive tanto tempo sem ela e nunca me custou tanto. Fui o caminho todo a chorar, o coração a ficar cada vez mais apertadinho. Senti-me a pior mãe do Mundo. Mas consegui acalmar-me e comecei a pensar que o tempo ia passar rápido, que depressa estava de regresso a casa para poder abraçá-la e mimá-la. Adoro o sorriso dela quando acorda, sempre bem disposta e nesses quatro dias iam-me fazer muita falta.
Check-in feito, a hora de embarque aproxima-se. E o meu pior momento também! Assim que me sento no meu lugar, começo a chorar. Um choro de saudade, um choro de Amor, que me deixava cada vez mais triste. Basicamente chorei até chegarmos a Madrid.


Não me quero separar dela tão depressa. É angustiante, o tempo custa a passar!
Ao fim do dia liguei para a falar com ela, saber se tinha estranhado os pais terem ido embora, se o colégio tinha corrido bem e a danada não quis falar comigo ao telefone! Anda uma mãe a chorar baba e ranho por causa dos filhos e no fim, pimba!


Finalmente chegou Sábado. Estamos de volta, mas ela está a dormir. A minha princesa dormia profundamente (que saudades que eu tinha dela!!!). Estávamos ansiosos que amanhecesse para a abraçar.
Só vos digo que a felicidade dela em nos ter visto assim que acordou acabou por apaziguar o tormento da minha ausência.




(desculpem o testamento, mas foi o meu desabafo)

3 comentários:

anasantos79 disse...

Palavras sentidas e verdadeiras,e nao tens que pedir desculpa pelo testamento,afinal sabe tão bem desabafar ;)

Nem imagino o que sentistes pois nunca me ausentei até agora para sentir essa saudade,essa angústia!!!

Mas já passou ;)

E és um excelente mamy

bjinhos & miminhos

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

Ate me arrepias-te pah...
Custa n é?
Mas valeu dps matar as sdds

Ana disse...

Custa mesmo!
Penso naquelas mães e pais que têm que estar meses longe dos filhos e no sofrimento deles.
O sorriso dela logo pela manhã quando nos viu valeu por tudo :)